Archive for the ‘Meus olhos clicam’ Category

De um banco defronte ao Fórum Silvio Romero (Paraty Blues)

04/02/2011

As andorinhas intrépidas
costuram pilotando o vento por entre os chuviscos

Um senhor recém-saído de algum lugar experimenta a amurada do cais
Enquanto alguém inquire o pescador sobre o que está dando

Dois cachorros camaradas
De temperamento distinto
Se revezam à frente de uma dona
Que não é deles

Dois jovens italianos conferem um mapa
E lamentam uma bússola;
Uma senhora indecisa leva o cinza
E por bem o arco-íris;
Vez por outra um cigarro
Põe o nariz pra fora das portas azuis

Três adolescentes de França passam se beliscando
Sem se dar conta da velha onça

O poema nasceu de idas anteriores. Desta vez, a cidade mereceu as fotos
que podem ser acessadas com um clique na imagem abaixo.

Foto: Pedro Biondi

Anúncios

Imagens da capital

21/04/2010

Evangelistas e camelôs, escaladas rumo ao céu e catedrais em chamas no álbum Esplanada: Visite Decorada.
Caules-óculos, pica-paus e árvores-sucuris no álbum Brasília Verde.

Xingu vivo

18/04/2010

Nestes dias, vou postar no meu flickr (já comecei) imagens de reportagem especial que fiz na Aldeia Ipatse, do Povo Kuikuro, em agosto de 2007.

Várias etnias festejavam o lançamento de vídeos do jornalista Washington Novaes e do Coletivo Kuikuro de Cinema.

Fiz a cobertura para a Agência Brasil, mas, por problema de manutenção no site da agência, no momento não é possível acessá-las (nem as matérias do especial) por lá.

Se alguém se interessar, o uso é gratuito. Basta dar o crédito: Pedro Biondi/ABr.

Casa própria

10/04/2010

Visite.

Duas árvores marcadas com “x”

25/02/2010

Duas árvores em meio ao terrão vermelho da obra viária, em pontos elevados nas bordas da escavação.

Ao passar de zebrinha (microônibus brasiliense), bati o olho e achei que tinha ali uma bela imagem. Uma delas numa espécie de península. Em cada uma, um “x” pintado.

Será que é o que estou pensando?, refleti ao passar. Tudo indicava que sim. Ficaria bonito, apesar de – ou justamente porque – triste, concluí. E extremamente sintético.

Funcionaria melhor em PB ou mantendo o domínio do vermelho, a carne que vive por baixo da pele verde de grama ou do couro cinza de cimento? Quando dá, ou quando não há outro jeito, a gente vai pré-fotografando na cabeça. Botar uma em primeiro plano e a outra ao fundo, irmanadas na identificação que, salvo engano, decretava um destino idem irmanado.

Assim, não seria totalmente em vão, considerei. E eu faria um mínimo por aquelas duas criaturas que nada poderiam operar para, literalmente ou não, desviar o curso das coisas.

As tarefas da dita “vida prática” não me licenciaram os 20 minutos necessários para apear ali, a caminho do trabalho, e registrar a cena. Fim de semana – me programei.

Claro que hoje, ao passar por lá, avistei as duas já destituídas e fraturadas.

Quantas vezes na vida não é assim? Suspiro ressecado…

PS: Para quem preferir as vivas,
fotos de árvores de Brasília aqui.

Olhos cascos pelo testas chifres

30/11/2009

Vida de Gado é o nome da série de fotografias que publiquei recentemente no flickr.

Vacas e bezerrões em preto e branco.

A porteira fica no canto direito desta tela.

Chove chuvinha

24/08/2009

Tão bom

Depois dela Brasília ficou como se moça

recém-saída do banho

2009_08_24_pos_chuvaAno passado foram mais de
quatro meses sem um pingo
(leia o relato aqui).
Este ano, creio, menos.
“É um ano atípico”, muitos
têm comentado. Mas esse
é um comentário bem típico.

E por falar em árvore…

13/08/2009

IMG_0117a

Se existe – e vive, e se mexe – a Mulher Melancia,

por que não haveria de existir

a Árvore Sucuri

(que, imagino, ela galoparia)

?

Pluviômetro

22/04/2009

Quanto tem chovido, nesta terra de famigerado estio?

2009_04_22_arvore_pluviometro

Pergunte ao limo…

Adendo…

14/04/2009

sobre a Praça do Compromisso:

foi lá que cinco jovens de Brasília queimaram vivo o índio pataxó hãhãhãe Galdino Jesus dos Santos, que dormia num ponto de ônibus, em 1997. O local é hoje mais conhecido como Praça Galdino.

2009_04_13_praca_galdino

A fotinho acima, recente, é minha, mas vale ver os belíssimos registros (este e este) feitos pelo fotógrafo Marcello Casal Jr. durante a manifestação que marcou o décimo aniversário do crime – aliás, 20 de abril.

Também ali foram assassinados dois moradores de rua este ano.


%d blogueiros gostam disto: