Choveu

Intransitivamente.

Mas cheio de complementos.

Nas plantas, nos concretos, no poeirão vermelho.

Choveu de leve. Só a ponto de pincelar de verde o arvoredo da capital. Pelo que dizem, esta é a chamada chuva da manga (ou do caju), que cai breve antes da estação úmida e permite a vinda de parte das floradas (e dos conseqüentes frutos).

Choveu só a ponto de conferir à passagem dos carros aquele som estaladinho, como de rolo de tinta na parede.

Chuva que não fecha o verão, não fecha a equação do EIA/Rima de uma grande maquete colocada sobre o cerrado, não faz a rataiada abandonar o barco, mas engata uma similar no dia seguinte. Chuva estilo chorinho miúdo, soluçado.

Choveu só a ponto de molhar a voz das crianças e do passaredo: joão-de-barro, bem-te-vi e anu-branco, úmidos.

E de interromper nossa queixaria respiratória, pelos mais de 120 dias de secura.

E no lugar dela vem aquela leve melancolia da serenidade, de ficar em casa, de dia sem cara de dia útil nem de fim de semana, de a gente conviver consigo mesmo. E com o que há de leve chuva do lado de dentro.

Tags: , ,

4 Respostas to “Choveu”

  1. eloise Says:

    Pedrim, Pedrim. Essa beleza toda me põe assim-assim…🙂
    Aqui também caiu do céu uma aguinha fundamental ontem. Água com som de ufa neguinho na estrada, que aqui também é vermelha.
    Lindo isso de molhar a voz das crianças e do passaredo. E a leve chuva do lado de dentro… Dá pra sentir o gosto do chuvisco na seca, na ponta da língua. Uma rega necessária na paisagem interior. Assentando o pó.
    Aliás, adoro chegar aqui e ver tanta coisa escrita, tanta surpresa boa pra curar a dor que finge. Deu vontade de chover um pouquinho.
    Gracias pelo e-mail da lhama. Eu demoro um pouco nas respostas de dentro… Vamos continuar brincando!
    beijão
    Elô

    P.S.: Estou lendo “Cartas a um Jovem Poeta”, do Rilke. Parece que não cabe dentro de tão grande.

  2. pedrobiondi Says:

    Valeu, amiga Elô. E aproveito pra recomendar o blog dela: http://www.enluarada.wordpress.com. Fala com toda sensibilidade sobre a natureza – de fora e de dentro.

    A série de aves tá uma graça!

    Beijo grande!

  3. Ana Rita Gondim Says:

    Que coisinha mais linda: “Chuva estilo chorinho miúdo, soluçado”.

  4. Chove chuvinha « Cheiro de Leoa Says:

    […] passado foram mais de quatro meses sem um pingo (leia o relato aqui). Este ano, creio, menos. “É um ano atípico”, muitos têm comentado. Mas esse é um […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: