Ainda no setor de setores

Para entender este texto, passe primeiro pelo post anterior (“Se o caso é setorizar…”, logo abaixo) e pelos respectivos comentários. Ele é um comentário sobre os comentários.

É… Talvez o meu setor esteja na divisa daquele de Poetas de Fim de Semana com o de Ingratos… com Broncocomplicações…

Que fica ao lado da Área Especial de Afastamento para Requalificação, voltado a delegados durante o auge de investigações importantes. E da contígua Área Temporária para Férias Convenientes, que é sobremaneira conveniente para ocupantes de cargos públicos em momentos delicados.

Quanto ao setor de chuvas, recebemos o comunicado de que permanecerá interditado até setembro, para desespero dos habitantes e usuários de todos os outros.

Agora, falando sério: salta à vista o irrealismo dessa combinação de utopia e pragmatismo da nossa capital. A maneira com que o sonho de JK, Niemeyer e Lúcio Costa se desencaminhou. O modo como, para se manter em militante congelamento, o Plano Piloto – verdadeira ilha de ordenamento, tranqüilidade, emprego e PIB – alimenta o desequilíbrio em seu entorno e se alimenta dele, acordando às 5 da manhã as cidades-dormitório. Como o Milani brincou, aqui existe até área “reservada” para “invasão”… E, apesar disso, não posso negar que, por contraste, Brasília nos faz enxergar os defeitos das outras cidades. No meu caso, particularmente os da minha cidade natal.

O gigantismo de São Paulo me parece cada vez menos inofensivo e “natural” – e cada vez menos viável. Ela bem que podia ser um pouco mais Brasília… Ser um pouco mais, assim, campus… Ter um tantim de cerrado em volta…

E nós (os “de fora”), que costumamos vir para um projeto específico e calculamos 2,0 anos de permanência, vamos consagrando o definitório, ou provisório definitivo, sem nos declarar radicados. Já começamos a falar “véi” e não transferimos pra cá o título de eleitor… Trancamos o carro alheio na comercial e não acompanhamos direito os passos do Arruda ou do PO…

Muda o governo, ou a ONG enxuga os quadros, ou a redação sofre um passaralho, e, em vez de fazer as trouxas, procuramos outro sustento aqui. Mas seguimos cravejando Brasília de pragas.

Poderia ser diferente? Não sei. Esse sol, essa cerveja com teto marcado, botam a gente confuso como o diabo…

Tags: , , ,

3 Respostas to “Ainda no setor de setores”

  1. Lidia Says:

    Pedro,
    Também tem o Setor de Concurseiros de Plantão. E o Setor de moradores de 3a a 5a feira, composto majoritariamente por deputados, assessores e lobistas.
    Bjs!

  2. pedrobiondi Says:

    É verdade, Lidia! Esses estão entre os setores-síntese de Brasília…

  3. Mari Says:

    Ainda é um retrato dolorido, mas agora muito mais justo na minha opinião…
    Desculpe se fui espinhosa no comentário anterior… É que quem é daqui tem características de cerrado mesmo…
    Mas, assim como o cerrado, a gente é seco mas dá flor…
    Quando vc vem nos visitar? Saudades do seu tempo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: