Carne de poeta

Tá na rede, disponível pra baixar, o livro carne viva, do poeta Marcelo Sahea.

Sahea, que morava aqui em Brasília até o fim do ano e está agora em Santa Maria (RS), combina poesia ágil e elegante com muito apuro visual. Texto pleno de síntese, boas sacadas, inversões… Pesquisa de designer e tesão com as palavras. E tem sempre um lance legal na construção do livro, bem pensado “enquanto livro”, como se diz na prosódia dos fichamentos. Com Carne Viva é assim – quem baixar verá.

Um de seus poemas visuais, um poema-cigarra, daria uma ótima seqüência de outdoors. Tá no livro anterior, leve.

sahea_livro3-copy.jpgDeste livro aqui, recomendo um sensacional nessa linha visual, chamado “péssarinhos”.

Também deste, segue outro dos poemas de que mais gosto, “línguas”. A formatação aqui é a que foi possível neste meu blog de paredes e telhados pré-fabricados, ok?

 

minha língua molúsculo
entra em becos vadios
cava cavernas no escuro
vaza dos vaus sombrios

tua língua molúsculo
fonte de eflúvios efêmeros
nédio nácar que osculo
super gema do gênero

nossas línguas molúsculas
musculares púrpuras
lânguidas contíguas

línguas de fogo vivas
lesmas de libar salivas
lânguidas e ambíguas

 

 

 

Tags: , , ,

Uma resposta to “Carne de poeta”

  1. marcelo sahea Says:

    Grande Pedro, um forte abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: